Ainda não é associado?
Conheça as vantagens
e associe-se

Notícias

07/05/2020 - Dia do Médico Oftalmologista: médicos reforçam cuidado com saúde dos olhos em tempos de pandemia

Deficiências visuais atingem mais de 6,5 milhões de brasileiros, ressalta Associação Catarinense de Oftalmologia. Entidade alerta também para evitar formas de transmissão da Covid-19 via lágrimas e contato de mãos com a córnea

Nesta quinta-feira, dia 07 de maio, comemora-se o Dia do Médico Oftalmologista, profissional responsável pela saúde dos olhos e capaz de diagnosticar e tratar doenças graves, que podem levar à perda progressiva da visão ou cegueira, como glaucoma, a retinopatia diabética, a catarata, as uveítes, o ceratocone e os tumores oculares.

No Brasil, mais de 6,5 milhões de pessoas (ou 3,5% da população) sofrem com algum tipo de deficiência visual, sendo que mais de 582 mil são cegas. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, em geral 80% dos casos de cegueira poderiam ser evitados com diagnóstico precoce e tratamento. E a maioria dos casos de perda de visão (42%) se devem aos erros de refração, como miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia, seguidos por catarata (33%) e glaucoma (2%).

"Mesmo que a pessoa esteja enxergando bem, realizar exames periódicos com um médico oftalmologista é a melhor maneira para identificar futuros problemas de visão", ressalta o dr. João Artur Etz Junior, presidente da Associação Catarinense de Oftalmologia. A entidade lançou no estado a campanha Saúde dos Olhos, chamando a atenção da população para a importância de fazer exames preventivos com médicos oftalmologistas.

Pacientes com mais de 35 anos devem fazer um exame de visão completo a cada dois anos. Quem tem mais de 65 anos ou parentes de sangue com glaucoma, diabetes e retinopatia devem ir ao médico anualmente.

O crescimento de consultas e receitas realizadas por profissionais não médicos em todo o estado tem causado preocupação da comunidade médica - apenas o oftalmologista pode fazer consultas de saúde e prescrição de receitas à população. "São necessários pelo menos 10 anos de estudo e de aprendizado prático. São 6 anos de graduação em medicina, outros 3 anos de residência médica em oftalmologia e mais um a dois anos de especialização em diversas sub-áreas", ressalta o dr. João Artur.

A entidade disponibilizou em seu site uma versão digital da cartilha Saúde dos Olhos, com informação à sociedade catarinense sobre os principais problemas de visão, sintomas e tratamentos, além de mitos e verdades sobre doenças oftalmológicas.

Voltar